O básico que você precisa saber sobre fundações

Fundações são infraestruturas capazes de receber as cargas da edificação e transmiti-las para o solo. Uma das coisas mais comuns em obras são as pessoas que desejam construir uma casa confundirem os tipos de fundações. Muitas das vezes por falta de conhecimento técnico, tornando-se comum ouvir perguntas do tipo: Qual será a profundidade do Tubulão que você vai fazer?

Sendo que dependendo do caso, o Tubulão nem é a Fundação mais recomendada. Isso ocorre porque às vezes essas pessoas acreditam que tubulão é um sinônimo de fundação, mas na verdade ele é apenas um tipo dentre diversos tipos de Fundações.

Então, afinal o que é o Tubulão?

Tubulões são fundações escavadas manualmente, iniciando pelo fuste e posterior alargamento de base. O comprimento do fuste é três vezes maior do que o seu diâmetro. Pode ser considerado uma fundação profunda, por geralmente exceder 3 metros de profundidade.  Sua principal vantagem é apresentar tanto resistência por atrito lateral, quanto resistência de base. Por essas características ele é uma das fundações mais usadas. Mas, certos cuidados devem ser tomados antes de executa-la. Dentre eles, destacam-se:

Realizar a Sondagem do Solo

É fundamental para qualquer fundação a realização da sondagem do solo. Mas no caso dos tubulões é ainda mais importante. Tubulões só podem ser executados em solos argilosos!!! Isso é muito sério. Imagine que você tenha um aquário e enche esse aquário de areia. Agora tente cavar um furo no meio da areia com seu dedo, como se fosse uma mini fundação. Com certeza você não vai conseguir, pois, a areia não tem coesão. Ela vai tampar o buraco assim que você acabar de fazer o furo e retirar seu dedo. Já essa mesma experiência funcionaria se você trocasse a areia por argila. Isso porque a argila tem muita coesão.

Nível da Água

No boletim de sondagem vem essa informação. Ela é importante, pois, dependendo do nível da água e onde será a cota de assentamento da fundação já fica inviável tal método. A água nos trechos finais da execução pode até ser bombeada, mas é um trabalho desnecessário se previsto na sondagem. 

Fundações Rasas (Sapatas)

As sapatas são fundações onde existe somente a resistência de base. Elas são criadas de modo a resistir os esforços de flexão impostos pelos pilares. Por esse motivo são armadas em sua base, diferente dos tubulões.

Não há muito segredo em relação a sapatas, elas são fundações que transmitem as tensões diretamente para o solo, sendo assim basta saber qual a capacidade de suporte do solo, e qual é a carga proveniente dos pilares.

Sua execução é feita, retirando todo o solo na área correspondente a base da fundação, sendo que após isso é realizada a concretagem. Posteriormente, o solo retirado é depositado sobre a base já concretada, porém sendo compactado.

Então eu posso fazer uma sapata acima do solo, sem escavar?

Se analisarmos o conceito e as funções da sapata você poderia sim. Porém, existe um estudo sobre a zona plástica do solo que afirma que no mínimo uma fundação qualquer deve ser assentada a pelo menos 1,50m de profundidade. Isso porque não é correto assentar a fundação na zona plástica do solo devido aos altos recalques. Além disso, existem estudos empíricos que demonstram que a maioria das fundações rompem por levantamento de solo. Por isso é importante manter uma camada de solo sobre a base das fundações.

Fundações Profundas (Estacas)

As estacas são fundações que podem ser cravadas ou escavadas. Elas, assim como o tubulão, possuem resistência por atrito lateral e resistência de ponta. Sendo que a resistência por atrito lateral é predominante.

Para esse tipo de fundação é muito importante saber o tipo de solo e o nível da água, para saber qual estaca é mais adequada para o projeto. Apesar de serem fundações mais usadas em ordem de cargas elevadas, nada impede que fazendo todas as análises necessárias, use-se estacas para projetos residenciais.

No cotidiano da construção civil as técnicas constritivas para fundações evoluíram bastante, já existem diversos equipamentos específicos para executar fundações de diversos tipos, porém a desconfiança com essa inovação e o preconceito em relação ao custo, acaba por disseminar sempre as mesmas soluções.

Criado por:      Wesley Lancuna

                       Engenheiro Civil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale com um Engenheiro no WhatsApp!